terça-feira, 15 de outubro de 2013

Polícia apreende toneladas de medicamento contrafeito


Agentes da Polícia Nacional angolana integram um grupo de 900 efectivos numa operação regional destinada a disciplinar o comércio de medicamentos e o exercício de actividades médicas na África Austral.

Em Angola, a operação teve lugar em todas as províncias do país, numa acção conjunta, entre a Polícia de Investigação das Actividades Económicas, o Instituto Nacional de Defesa do Consumidor e técnicos da Saúde.

Na província do Huambo, foram apreendidas 24 toneladas de medicamentos de origem duvidosa. O director da Polícia de Inspecção e Investigação das Actividades Económicas no Huambo, superintende-chefe Mário Martinho Júnior, disse à imprensa que a operação abrangeu os 11 municípios que compõem a província.

Na Huíla, a operação começou no mercado paralelo João Almeida, onde foram apreendidas quantidades não especificadas de medicamentos, alguns contrafeitos e outros com prazo de validade vencido.

No total, foram apreendidas em Angola 80 toneladas de medicamentos contrafeitos, calculados em mais de cem milhões de dólares e detidos 67 indivíduos nacionais e estrangeiros, um dos quais se fazia passar por médico cirurgião na cidade do Uíge.

Os resultados da operação policial desenvolvida em Angola foram revelados no decurso de uma conferência de imprensa convocada pelo Comando-Geral da Polícia Nacional e dirigida pelo segundo comandante para a Ordem Pública, comissário chefe Paulo Gaspar de Almeida.

in Jornal de Angola de 15.10.2013

Sem comentários:

Publicar um comentário