sexta-feira, 13 de Abril de 2012

Historial do Reino do Bailundo



O reino do Bailundo, localizado na província do Huambo, continua a marcar a história e a tradição do povo angolano, 109 anos depois do seu aparecimento no mapa geográfico angolano.

Para marcar a sua trajectória, o Reino do Bailundo vai conhecer hoje, sexta-feira, o novo soberano, após a cerimónia de entronização de Armindo Francisco Kalupeteca
"Ekuikui V", de 38 anos.

A história regista que o apogeu do Reino do Bailundo se deu durante o reinado de Ekuikui II, de 1876 a 1890. Mas, foi o Rei Katyavala I que fundou o reino, vindo das terras do Kwanza Sul com a sua família, quando habitou nas cercanias das montanhas de Halavala.

Antes do Século XVII, o reinado manteve-se à margem do domínio colonial. Só por volta de 1770/71 é que Portugal se instalou no Reino do Bailundo com a presença de um juiz. Em (1885) a colónia portuguesa já estava representada no reino com um capitão-mor.

O rei Ekuikui II teve o cariz de diplomata exímio. Ousou evitar a guerra e incentivou a prática da agricultura na população, e durante o seu reinado o Bailundo não enfrentou grandes guerras. Depois da sua morte sugiram as grandes guerras que culminaram com a subjugação do Bailundo e de toda a região do Planalto Central, isso em 1902.

Nesse mesmo ano foi criado o Posto do Bimbe, a 16 de Julho, passando então a denominar-se Katapi e posteriormente Vila Teixeira da Silva.

Actualmente, o município do Bailundo conta com cinco comunas, Bailundo, Bimbe, Hengue, Lunge e Luvemba, ocupando uma superfície de 7 mil e 65 quilómetros quadrados.

Possui 573 aldeias e 79 Ombalas. No território do Bailundo abundam várias cadeias montanhosas, das quais se destacam as de Lumbanganda, Chilono, Nity e o morro do Halavala, onde jazem os restos mortais dos reis Katyava e Ekuikui, símbolos da resistência anti-colonial na região do Planalto Central.

in ANGOP de 13.04.2012

Sem comentários:

Enviar um comentário