sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Processo de desminagem será reforçado com novas brigadas em 2013


Nove brigadas de desminagem vão entrar em funcionamento em 2013 visando reforçar o processo de clarificação de zonas de minas no país, informou o director-geral do Instituto Nacional de Desminagem (INAD), Leonardo Severino Sapalo.
 
Disse que as novas brigadas vão funcionar numa fase inicial com equipamentos manuais de detenção de minas e posteriormente, caso as necessidades exigijam, poderão evoluir para brigadas mecanizadas, que utilizam máquinas sofisticadas para detectarem e removerem minas.
 
Leonardo Sapalo, que falava no quadro de uma visita efectuada pelos membros do grupo operativo da Comissão Executiva de Desminagemà província, informou ainda que actualmente o processo de detenção e remoção de minas no território nacional é assegurado por 56 brigadas, sendo 53 manuais, duas mecanizadas e uma canina (que utiliza cães).
 
Apesar de considerar insuficiente este número de brigadas, atendendo a extensão territorial do país (1.246.700 quilómetros quadrados), o responsável nacional do INAD deu a conhecer que o processo de desminagem em Angola tem sido complementado por brigadas das organizações não governamentais humanitárias.
 
Considerou positivo o trabalho que as brigadas de desminagem estão a desenvolver, uma vez que está a permitir aumentar consideravelmente a segurança do uso de terra para fins diversos, entre os quais agricultura, turismo e implantação de projectos socioeconómicos que estão a contribuir para a melhoria da qualidade de vida das populações.
 
O director do INAD garantiu que actualmente o risco dos cidadãos accionarem minas é "extremamente" baixo no país, graças às acções que têm sido levadas acabo pelas brigadas de desminagem.
 
Não podemos assegurar que o país já esteja livre de minas, mas temos a certeza de que, gradualmente, temos vindo a aumentar consideravelmente o número de zonas livres, permitindo, deste modo, elevar a segurança dos cidadãos”, aclarou.
in ANGOP de 23.11.2012

Sem comentários:

Publicar um comentário