terça-feira, 26 de novembro de 2013

Educação no Longonjo necessita de mais salas de aulas


Cento e 50 novas salas de aulas serão necessárias em 2014 no município do Longonjo, cuja vila localiza-se a 64 quilómetros a oeste da cidade do Huambo, para inserir no sistema normal de ensino 6.250 crianças que ficaram sem estudar, no presente ano lectivo, por falta de escolas nas suas aldeias. 

O facto foi dado a conhecer pelo chefe da repartição da educação neste município, Valentim Muquinda, tendo considerado insuficientes as actuais 910 salas, muitas das quais de carácter provisório.

Tendo em conta algumas limitações financeiras para a construção de tais salas de aulas, o responsável apelou, por este motivo, a população a erguer escolas comunitárias, tal como tem vindo a acontecer.

A construção de escolas comunitárias, onde a administração municipal tem apenas a responsabilidade de fornecer chapas para a cobertura das mesmas, pode ser uma solução para o défice de estabelecimentos de ensino no nosso município”, enfatizou.

Valentim Muquinda realçou que o sector da educação no Longonjo também necessita de um reforço de 450 professores, sobretudo do ensino primário.

Salientou que no presente ano lectivo foram matriculados da iniciação até ao II ciclo do ensino secundário 33.797 alunos, distribuídos em 75 escolas do ensino primário, sete do I ciclo do ensino secundário e uma do II ciclo do ensino secundário, cujas aulas foram asseguradas por 1040 professores.

in ANGOP de 26.11.2013

Sem comentários:

Publicar um comentário