quinta-feira, 31 de maio de 2012

OIM encerra projecto de segurança alimentar no Bailundo e Mungo


Dois mil e setecentos e oitenta e quatro populares, dos municípios do Bailundo e Mungo, a norte da cidade do Huambo, beneficiaram do projecto de segurança alimentar e estabilização comunitária, implementado pela Organização Internacional para as Migrações (OIM), de Dezembro de 2009 a Março do corrente ano.

Deste número, mil e quinhentos e trinta populares (1.530) são do sector de Monte Belo, município do Bailundo, que testemunhou, hoje, o acto oficial de encerramento do projecto com a inauguração de um Moinho Hidráulico, cuja capacidade é de fabricar cerca de 300 quilos de fuba de milho em 24 horas.

Em declarações no Bailundo, o chefe do sub-escritório da OIM, na província do Huambo, Daniel Silva, enfatizou que o moinho, construído na localidade de Chiweca, sector de Monte Belo, foi entregue a um grupo de mulheres chefes de família, a fim de reduzir esforços na sua actividade de produção de fuba de milho, principal componente da alimentação diária da população desta região do planalto central.

Por outro lado, Daniel Silva deu a conhecer que o projecto abrangeu populares de 14 aldeias.

Das várias acções realizadas, destacou a constituição de 14 associações de camponeses, a distribuição de imputes agrícolas, gado bovino e instrumentos de trabalho para os 280 componentes, a criação de três escolas de campo com um total de 300 pessoas, entrega de material para produção de mel e para transformação de produtos do campo a 50 pessoas, bem como a distribuição de caprinos a 21 mulheres viúvas.

A formação e introdução da cultura da soja em algumas aldeias, através de grupos femininos, num total de 60 componentes, a construção de moinhos nas Ombalas Bonga, Chiweca e Chitele, a construção de valas de rega e represas de águas nas localidades de Yacalunga, Chitele, Santa Cruz e São Miguel foram igualmente acções realizadas.

A criação de bancos de sementes nas localidades de Kahela, Katchinheni e Chitele, a sensibilização de 70 pessoas, sobre o micro-crédito e a educação contra o VIH/Sida aos 350 populares do sector e a realização de um estudo sócio-economico constaram das actividades realçadas pelo responsável.

Daniel Silva disse que a implementação destes projectos contou com a parceria da OIM, Adra-Angolana, ADESPOV, Igreja Evangélica Congregacional em Angola (IECA), Associação Cristã da Mocidade
(ACM) e o Kixi-crédito.

Para os dois municípios, Bailundo e Mungo, a OIM investiu no projecto de segurança alimentar e estabilização comunitária o equivalente a um milhão e duzentos mil dólares norte americanos, fundos doados pela Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID).

Administrador municipal agradeceu o trabalho da OIM e encorajou a organização a procurar doadores para que o município beneficie de novos projectos nas comunidades.

in ANGOP de 31.05.2012

Sem comentários:

Publicar um comentário