segunda-feira, 22 de abril de 2013

Paz considerada condição imprescindível para o progresso do país



O segundo-secretário nacional da JMPLA, Boaventura Chitapa, considerou sábado, na vila municipal do Cachiungo, a 62 quilómetros a leste da cidade do Huambo, a paz como uma condição imprescindível para o alcance do progresso do país.

Essa afirmação foi feita durante o acto de abertura da conferência sobre “O contributo do Presidente da República, José Eduardo dos Santos, na conquista e preservação da paz”, realizada na vila municipal do Cachiungo, realçando que a paz promove justiça, igualdade de oportunidades e o respeito pelos direitos fundamentais dos cidadãos.

Reconheceu que Angola tem vindo a registar grandes avanços, desde o alcance da paz a 4 de Abril de 2002, um dos quais o aumento de escolas e centros de formação, incluindo universidades, para a formação académica e profissional da juventude.

Angola viveu durante quatro décadas um período de grande turbulência, momentos de guerra que se traduziram numa profunda destruição do país, onde o povo vivia sem esperança e sonhos de uma vida melhor, além da morte transformar-se num acontecimento constante. Pelo que é necessário continuarmos a preservar a paz por ser um factor de grande valor para o progresso”, salientou.

Segundo o político, a realização destas conferências, enquadradas nas festividades alusivas ao 14 de Abril (Dia Nacional da Juventude), visa exaltar os benefícios da paz efectiva, que se tem traduzido na estabilidade política, a livre circulação de pessoas e bens, crescimento e desenvolvimento económico e, consequentemente, a melhoria das condições de vida das populações.

Disse também ser objectivo das conferências enaltecer a figura do presidente José Eduardo dos Santos, como arquitecto da paz, na condução do processo de reconciliação dos angolanos e na preservação deste bem tão precioso para o povo que é a paz.

in ANGOP de 22.04.2013

Sem comentários:

Publicar um comentário